O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora

Faltam 9 dias

⚠️ Atenção: Reserve sua vaga na Black November e não perca o maior desconto!

GARANTIR DESCONTO

O que é Vestibular? Para que serve e como funciona?

Quem está no terceiro ano do Ensino Médio provavelmente já ouviu falar alguma vez na palavra vestibular. As pessoas que concluíram a escola e desejam ingressar em um ensino de educação superior também já devem ter escutado sobre avaliações que irão garantir uma vaga na universidade.

Porém, com o desejo de cursar uma graduação aparecem questionamentos muito comuns, como: "Qual curso devo escolher?", "Que carreira seguir?", "Qual é a melhor instituição de ensino?" e, principalmente, "Como faço para conquistar uma vaga na universidade?".

Teste Vocacional: o que é e como funciona?

Para quem pensou em prestar vestibular, mas ainda está perdido sobre o que é e por onde começar, preparamos este artigo para esclarecer dúvidas.

O que é vestibular?

O vestibular é um processo seletivo, sendo uma das principais formas de ingressar no ensino superior de instituições privadas ou públicas.

Esse método de avaliação foi implementado no Brasil em 1911, para atestar os conhecimentos gerais e específicos que os estudantes adquiriram ao longo dos três anos do ensino médio. As etapas do processo determinam se os alunos estão aptos ou não para cursar uma graduação de acordo com a classificação obtida e o número de vagas dispostas para o curso que escolheu em uma determinada universidade.

Inicialmente, cada universidade tinha seu próprio método de avaliação, apenas em 1960 foi realizada a primeira seleção unificada para acesso a diversas universidades.

Um exemplo disso era a Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), que aplicava os exames para selecionar alunos para a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Com o surgimento do Enem – Exame Nacional do Ensino Médio, grande parte das faculdades públicas passou a adotar a pontuação do Enem como critério de avaliação, mas, ainda assim, há universidades que ainda preferem aplicar o próprio vestibular.

Para que serve e qual objetivo do vestibular?

O vestibular é aplicado para classificar e habilitar os melhores alunos para ingressar na universidade no curso de graduação da carreira escolhida. Assim espera-se que esses estudantes tenham maior aproveitamento no ensino superior, tornando-se bons profissionais e trazendo maior retorno para o país.

Esse método de avaliação garante uma seleção justa entre os candidatos, pois depende do seu desempenho e intelecto para conquistar a vaga.

Além disso, a concorrência de um vestibular também auxilia na escolha de qual universidade escolher, pois os mais concorridos são os que possuem maior qualidade de ensino.

Como funciona o vestibular?

O vestibular funciona da seguinte forma: é estipulado um período de tempo para que o candidato se inscreva nos processos; após a inscrição há aplicação de uma ou mais avaliações, com datas e horários definidos pela universidade escolhida.

As provas costumam ser compostas de questões objetivas e/ou dissertativas sobre matérias do Ensino Médio e uma redação. Porém, a forma como as instituições aplicam esse método de seleção é diversificada.

O número de questões, a quantidade de etapas, a época do ano em que os exames são aplicados, os requisitos e os critérios de avaliação variam de acordo com a instituição de ensino superior.

Algumas, por exemplo, chegam a utilizar até mesmo a nota parcial do Enem para selecionar os alunos mais aptos a ingressar na faculdade. Além disso, essa nota também pode ser usada para aumentar a pontuação do vestibular.

Além desse formato existem diversos outros que as universidades utilizam para avaliar seus candidatos por meio dos seus vestibulares, como:

  • exame de apenas uma fase;
  • exame com primeira e segunda fases;
  • prova com apenas uma redação; e
  • prova com questões de múltipla escolha ou dissertativas ou com ambos os tipos.

Por isso, antes de iniciar a sua preparação é importante saber em quais universidades deseja ingressar para que possa direcionar seus estudos e garantir a sua aprovação na tão sonhada vaga.

Qual a diferença entre Enem e vestibular?

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e os vestibulares são métodos de avaliação que permitem acesso ao ensino superior. A principal diferença é que o Enem se trata de uma avaliação, enquanto o vestibular é um processo seletivo. A professora do Qconcursos Ana Machado explica um pouco sobre cada um deles:

“O Enem foi criado em 1998 e inicialmente era uma prova avaliadora que verificava a qualidade do Ensino Médio brasileiro, como hoje são o Enade e outras provas avaliativas. A partir de 2009 passou a ter o valor de vestibular, alcançando o patamar de maior do país. Assim, várias universidades adotaram o exame como o único processo seletivo”.

Leia mais: Como funciona e para que serve o Enem

O Enem recebe milhões de inscrições todos os anos e é a principal porta de entrada para a maioria das universidades públicas por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que abre vagas para diversas modalidades de concorrência, com diferentes cursos em inúmeras universidades.

O Exame também é utilizado para que o estudante consiga bolsas em faculdades particulares por meio de programas do governo como o ProUni, para universidades particulares que exigem comprovação de alguns requisitos, e o Fies, que é um financiamento do governo para cursos de graduação em instituições privadas, com o qual o aluno recebe uma quantia total ou parcial do valor da mensalidade, mas após formado o beneficiado deve ressarcir o valor emprestado. Vale ressaltar que o Enem também é usado como complemento de notas para vestibulares próprios de universidades.

Leia mais: Como estudar para o Enem

A avaliação ocorre em dois domingos distintos e é composta de 180 questões de múltipla escolha de todas as disciplinas que compõem o ensino médio, além de uma redação sobre temas de relevância social.

No primeiro dia são aplicadas as provas de Redação e das áreas de Linguagens e Códigos (45 questões) e Ciências Humanas (45 questões). Já no segundo dia ocorrem as avaliações de Matemática (45 questões) e de Ciências da Natureza (45 questões).

Leia mais: O que estudar para o Enem? Saiba o que mais cai nas provas

Para entrar em faculdades públicas o aluno é classificado de acordo com a sua média do Enem em relação à disposição de vagas oferecidas. Assim que atingido o limite de alunos aprovados é atribuída uma nota de corte, que é o valor mínimo para ingresso do aluno naquele curso.

Cada instituição adota pesos diferentes para cada área do conhecimento avaliada no Enem ou notas mínimas para inscrição no curso de interesse.

Já sobre o vestibular, a professora Ana Machado explica:

"É um processo seletivo que algumas universidades que não adotaram o Enem ainda mantêm, por acreditarem que o Exame Nacional do Ensino Médio não é suficiente para provar que o aluno é capaz de ingressar numa universidade”.

A professora reforça que “diferentemente do Enem, os vestibulares contam com questões discursivas e são separados em fases, como a UERJ, que tem a primeira fase e a segunda fase. Geralmente, a primeira fase é composta de questões objetivas e uma redação, e a segunda consiste em questões discursivas que dependem da área que o aluno escolheu no momento da inscrição”.

Para realizar o vestibular o estudante precisa ser concluinte do ensino médio ou estar no segundo ano – neste caso, o participante é conhecido como treineiro, pois realiza a prova para simular a nota e o seu desempenho.

Leia mais: Estratégias de como passar para o Enem e vestibulares

Segundo a professora, um dos vestibulares mais parecidos com o Enem é o da Fuvest, mas há o diferencial das questões discursivas.

Vale ressaltar que os vestibulares possuem bancas de aplicação e correção que variam de acordo com cada universidade e podem durar diversos dias por meio de várias etapas. Alguns costumam ser muito grandes e tradicionais, como os da Fuvest, para ingresso na USP, Vunesp, para a Unesp, e Comvest, para Unicamp, todos do estado de São Paulo. Então, é importante conhecer bem quais processos terá que encarar.

FUVEST, UNICAMP e UNESP: conheça o perfil de cada vestibular

Principais vestibulares no Brasil

Quando for escolher o curso que deseja seguir, conheça as diversas oportunidades e o peso que essas instituições têm, em termos de qualidade de ensino. Para te ajudar nessa função, o Qconcursos listou os vestibulares aprovados pelo Ministério da Educação (MEC), listados segundo o SEB (Sistema Educacional Brasileiro), como os mais procurados e de maior concorrência:

  1. Enem
  2. USP (Universidade de São Paulo)
  3. Unicamp (Universidade Estadual de Campinas)
  4. Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho)
  5. UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina)
  6. UFPR (Universidade Federal do Pará)
  7. UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
  8. UnB (Universidade de Brasília)
  9. ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica)
  10. IME (Instituto Militar de Engenharia)

Independentemente de qual universidade escolher, a professora aconselha: "o que vai garantir a sua aprovação é a sua preparação. Para fazer o vestibular é preciso estudar bastante, treinar por questões, por teoria, com questões da banca. Os vestibulandos trabalham com questões complexas que exigem um preparo e dedicação. Vale lembrar que tanto no Enem como nos vestibulares a redação tem grande peso, então estude bastante para garantir uma boa nota nessa avaliação”.

E aí, quer garantir a sua aprovação na tão sonhada vaga do vestibular? Organize seus Estudos com o Qconcursos.

Cadastre-se e faça parte da maior comunidade de ensino on-line do Brasil.


Faça login ou cadastre-se para comentar.