O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora

DÊ UM UPGRADE NA SUA PREPARAÇÃO - Torne-se assinante e transforme seus estudos!

CONHEÇA NOSSOS PLANOS

Estratégias de como passar no Enem e vestibulares

Durante o Ensino Médio a maior preocupação e terror dos estudantes é a aproximação  do período de Enem e vestibulares. Vêm as dúvidas sobre aonde ir, o que fazer, qual curso escolher, por onde começar a estudar e assim por diante. Porém, calma, jovem! Para tudo há uma solução. O principal é ter foco, determinação e, o mais importante, estratégia.

Para alcançar qualquer objetivo o ideal é percorrer um grande caminho até a chegada. A forma como se percorre toda a trilha – se vai pelo percurso mais longe, se escolhe um atalho, como lida com obstáculos e como se desenvolve – é o que vai determinar se a pessoa vai ter sucesso ou não. Com as provas de ingresso no ensino superior não é diferente. Antes de conquistar a tão sonhada aprovação é preciso passar por uma série de conteúdos e preparação até chegar o dia da prova.

Por serem avaliações extensas, que abordam uma grande quantidade de assuntos e temas de diversas áreas do conhecimento, de início parece assustador. Porém, como explicado anteriormente, a forma como você decide enfrentar a sua trajetória é que vai determinar sua aprovação.

FUVEST, UNICAMP e UNESP: conheça o perfil de cada vestibular

Em provas de Enem e vestibulares, que contam com milhões de concorrentes para um número limitado de vagas, a melhor maneira de obter um bom desempenho é recorrendo a métodos, atalhos e uma boa estratégia. E quando falamos em estratégias, nos referimos tanto a questões de estudo quanto comportamentais.

Estratégias bem definidas e treinadas para todo o seu processo de estudos são fundamentais para estar preparado para, no dia da avaliação, obter o maior desempenho possível. Nesta parte, iremos ajudar com algumas dicas!

Antes do estudo

1º passo: Defina seu objetivo

Antes de seguir é preciso saber aonde quer chegar. Defina seu curso e analise qual será a forma de ingresso, se será por meio de Enem ou de vestibular próprio ou se o vestibular irá utilizar o Enem e uma prova extra. O principal é ter seu objetivo em mente para depois elaborar a melhor estratégia para alcançá-lo.

2º passo: Conheça a sua meta

Após definir seu objetivo, conheça o que irá enfrentar: quais provas são cobradas, quais disciplinas serão abordadas, como elas são distribuídas e, o que é mais importante para o curso escolhido, o peso atribuído às questões das disciplinas principais para ingresso no seu curso.

Leia sobre as últimas edições das provas, sobre como os processos foram estruturados, quantas pessoas se inscreveram na opção que escolheu, entenda a relação candidato/vaga. E o principal: leia os editais e as orientações com muita atenção para que não haja surpresas. A partir disso, comece a elaborar sua rotina de estudos.

Estratégias durante as fases do estudo

Quando começamos a nos preparar para uma prova, após todo conhecimento do que é a prova e para que serve, é preciso definir o que deve ser feito para alcançar a aprovação, ou seja, como você irá percorrer esse caminho.

Assim que o estudante decide começar a estudar ele deve conhecer as disciplinas e analisar em quais terá mais dificuldade para estudar e em quais terá mais facilidade. Após isso, precisa ter conhecimento de qual terá mais peso na sua nota – essa será a que deverá alcançar maior pontuação. Assim, o próximo passo é elaborar uma rotina de estudos, separando tempo para teoria, prática e revisão.

Artigo: A importância de fazer simulados na rotina de estudos

Algumas áreas do conhecimento, como linguagens e códigos, ciências humanas e algumas disciplinas de ciências da natureza, requerem conhecimento da teoria e dos conceitos de forma mais definida para, a partir disso, começar a prática. Para área de matemática, a melhor forma de começar a estudar é pela resolução de questões, e a partir das dificuldades procurar os métodos e conceitos para resolução delas.

Artigo: O que estudar para o Enem? Saiba o que mais cai na prova

Na primeira fase o estudante ainda não sabe o nome das disciplinas e se depara com muitos conceitos, teorias, diversos temas… Assim, fica perdido. Porém, estruturando bem sua rotina de estudos, analisando quais conteúdos costumam ser mais cobrados na prova e estudando a base do conhecimento do que será abordado, está no caminho certo.

Nessa etapa, à medida que entende os assuntos, é importante resolver questões referentes àquele conteúdo antes de ir para o próximo, para que assim possa tirar dúvidas e compreender melhor as questões que errou.

Na segunda fase o candidato já identifica os temas e os assuntos, já não é tão imaturo em relação às provas e começa a pegar o ritmo de teoria-prática-revisão. A revisão é muito importante, pois é a partir dela que o conhecimento é fixado no cérebro, seja por meio de mapas mentais, resumos ou simulados. Esses métodos estimulam uma maior capacidade de retenção.

Se já conhece do que se trata cada assunto, é necessário buscar formas de otimizar seu tempo de estudos e utilizar métodos de fixação mais eficazes, seja pelo uso de mnemônicos, pela técnica pomodoro, kaban ou outras. O importante é recorrer a artifícios para memorização e aprendizado.

Pelo tempo de tempo de prova ser muito curto, é melhor que as questões sejam resolvidas rapidamente. Nesta última fase o estudante começa a solucionar as provas anteriores e tenta obter resultados de forma mais assertiva e em menor tempo.

A professora de português Ana Carolina Machado aconselhou que o importante é resolver primeiro as questões fáceis, as que já domina, para a partir disso recorrer às mais difíceis.

O Enem, por exemplo, utiliza um método de correção em que o candidato que acerta mais questões fáceis que difíceis obtém uma pontuação maior. Segundo o algoritmo, acertar uma fácil e errar uma difícil indica que ele chutou, portanto a pontuação atribuída àquela questão é menor. O mesmo serve para a disciplina que têm maior peso para o seu curso: se a sua pontuação for menor nela, menor sua média final e mais chances de uma colocação não tão boa no concurso.

Como estudar para o Enem

O pré-prova também é muito importante para um bom desempenho quando a prova se aproxima, visto que o estudante percorreu todo esse caminho, estudando, revisando, solucionando diversas outras edições dos vestibulares, e está preparado.

O que estudar para o enem? Saiba o que mais cai na prova

Antes da prova

No período pré-prova é imprescindível organizar o tempo o máximo possível. Assim, a professora Ana Carolina Machado deu dicas de como isso pode ser feito de forma equilibrada: "utilizar aplicativos de gestão de tempo ou a técnica pomodoro para ajustar o tempo e ter maior facilidade para se acalmar ajuda na ansiedade".

Quando a prova se aproxima, a melhor dica é diminuir o ritmo de estudos e descansar a mente, como aconselhou a professora:

"Uma semana antes da prova, o aluno precisa parar um pouco de estudar, porque já teve o ano inteiro para isso. Esse tempo não serve mais para aprender conteúdo e matérias novas. Nesse momento é importante descansar e ter pelo menos 9 horas de sono para que o dia seja mais produtivo e com melhor rendimento. Ainda assim, se preferir pode focar na revisão, pois irá rever o que já estudou."

Estratégias durante a prova

Chegou o dia da prova, não fique nervoso! Pense em todo o caminho que percorreu, como se organizou, tudo o que aprendeu, os exercícios que fez, as edições anteriores que solucionou e fique calmo. Essa é a fase final, então sua a conquista da sua meta, a tão sonhada vaga no ensino superior, está cada vez mais próxima.

1º Mantenha-se calmo

O nervosismo pode levar ao desespero, e é nesse momento que os estudantes falam a famosa frase “deu um branco”. Assim que receber a prova, respire fundo, lembre que essa é só mais uma etapa e que passou um ano inteiro se dedicando a ela. Assim que os candidatos recebem a prova, eles costumam abri-la e a ler as questões todas de uma vez, o que contribui para a ansiedade. Faça o oposto: relaxe e abra quando se sentir pronto; só então comece a analisar a prova.

2º Organize-se

Assim que receber as provas, pense nas disciplinas que considera mais fáceis e resolva-as primeiro. Garanta a pontuação das questões que já domina; conseguir resolver uma questão também ajudará você a manter a confiança. Assim que solucionar as questões nas quais tem maior domínio é o momento de ir para as mais difíceis.

Ainda assim, intercale as questões, para não deixar todas as mais difíceis para o final e acabar se desesperando. Equilibre a resolução das questões, como fazia durante os seus estudos.

3º Pule questões

São muitos conteúdos, muitas questões, e o tempo de prova é curto. Existe um tempo máximo para resolver cada questão para que todas elas consigam ser solucionadas dentro do tempo estipulado. Assim, não perca mais que cinco minutos em uma questão. Não conseguiu resolver, não tenha medo de pular. Dessa forma, o tema é otimizado, e quando desenvolver todas as que já sabe de forma mais rápida terá mais tempo para voltar naquela mais difícil.

4º Alterne disciplinas

O ponto-chave para se manter controlado e ainda assim conseguir resolver todas as questões dentro do tempo de duração da prova é intercalando as disciplinas que considera mais fáceis e as que considera mais desafiadoras. Passou muito tempo resolvendo questões difíceis e se cansou, volte para a disciplina que domina para se manter motivado. Assim, consegue maior rendimento e utiliza bem o tempo.

Depois que estiver familiarizado com a prova, resolva as questões mais longas, com textos maiores, que aparentam ser mais demoradas. Após duas horas de prova, quando está mais tranquilo e confiante, é o momento em que o candidato costuma ter maior rendimento, então explore ao máximo sua capacidade e invista nessas perguntas.

5º Pause para descansar

A pausa para o descanso é quando você repõe suas energias e pode tomar lanche, ir ao banheiro, beber uma água. Levantar da cadeira ajuda na circulação do sangue; ande um pouco, se distraia por alguns minutos e depois retorne à sala. Quando retornar, é o momento de fazer as questões que deixou para o final, então respire e prossiga, aposte nas questões mais difíceis, que estava adiando o máximo para resolver. Dê o seu melhor!

6º Os 20 minutos finais

Lembra das questões que pulou e deixou para o final? Então volte a elas e tente dar o seu último gás. É preciso estabelecer um tempo máximo para a resolução dessas questões, pois são necessários pelo menos 20 minutos para preencher o gabarito, se a prova for de múltipla escolha, ou para revisar suas respostas e ver se esqueceu de alguma informação necessária.

Quando for preencher gabarito, tenha o máximo de cuidado. Muitos estudantes zeram a prova ou perdem muitos pontos por preencher uma questão de maneira errada, portanto preste bastante atenção. Chute as questões que não conseguiu resolver! Não tenha medo de chutar, pois isso acontece e é normal. Porém, até quando for chutar, utilize a estratégia. Veja em quantas questões já marcou cada alternativa, tente eliminar o máximo de possibilidades possíveis e chute entre duas opções. O importante é sempre ler a questão e tentar dar o seu melhor.

Finalizando a prova, descanse e espere o resultado. Se percorreu todo o caminho de maneira correta, estudou, se preparou e resolveu questões, a sua aprovação é só questão de tempo. Confie no seu potencial, seja estratégico e tenha foco!

Cadastre-se e faça parte da maior comunidade de ensino on-line do Brasil.