O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora

Acaba em 5 dias

Planos até 45% OFF. Aqui você tem tudo o que precisa em um só lugar. Vem! 😊

SAIBA MAIS

Concurso público: conheça os tipos de provas

Os concursos públicos são constituídos de diferentes métodos de avaliação. Há aqueles que cobram apenas uma prova objetiva, outros acrescentam uma redação e há ainda seleções que contemplam avaliação de títulos, exames médicos, o famoso Teste de Aptidão Física (TAF) e, no caso dos concursos militares, o Curso de Formação no final do processo.

Os nomes citados acima podem soar bem familiares para quem se prepara para um certame, mas você sabe o que significam e por que são aplicadas as provas de concursos públicos?

Prova objetiva

Esse é o tipo mais comum de avaliação em concursos. Em seleções com mais de uma etapa, essa prova tende a ser a primeira. O objetivo é avaliar o conhecimento intelectual do candidato quanto ao conteúdo do cargo pretendido, tanto de nível fundamental, quanto de nível médio ou de nível superior.

A prova objetiva pode ser composta de questões de múltipla escolha com quatro ou cinco alternativas cada, sendo somente uma a resposta correta, ou de questões da modalidade CERTO ou ERRADO. Esse tipo de prova é característica do Cebraspe, antiga Cespe.

Comece a estudar: resolva mais de um milhão de questões objetivas na plataforma do Qconcursos

As provas com questões de múltipla escolha são consideradas mais fáceis, pois há maior probabilidade de “chutar” a resposta. Por outro lado, as questões com apenas duas alternativas são bastante temidas pelos concurseiros, já que uma resposta errada anula uma questão correta.

Leia mais: a importância do Português para concurso público

Prova discursiva

Muitos concursos para níveis médio e superior cobram, além da prova objetiva, uma avaliação no formato dissertativo. Na maior parte dos casos, a prova discursiva é constituída de uma redação. O texto é escrito com base em um tema determinado pela banca e divulgado no dia da prova. Nesta fase, a banca avalia a interpretação de texto, coesão e gramática, por exemplo.

No entanto, há cargos que exigem outros tipos de questões discursivas, como é o caso de algumas provas para Advogado, quando o candidato deve redigir uma peça processual.

A prova discursiva é de caráter eliminatório e classificatório e geralmente são aplicadas no mesmo dia da prova objetiva. Porém, somente são corrigidas as provas dos candidatos habilitados na primeira etapa do concurso.

Prova prática

A prova prática é comum em seleções que normalmente exigem habilidade para a atividade pretendida, como para os cargos de Motorista e Digitador, por exemplo. Essa etapa, de caráter eliminatório, visa avaliar o preparo e condição do candidato para exercer a função. São convocados os aprovados nas etapas anteriores.

Na prova prática para Motorista, por exemplo, o candidato passa por um teste ao volante, percorrendo um percurso em determinado tempo, ambos estipulados pela banca examinadora. Já no caso de um digitador, o candidato deve redigir um texto em tamanho determinado no edital dentro de um limite de tempo, com o mínimo de erros possível.

Prova oral

Uma das etapas mais temidas em concursos públicos é a prova oral, momento em que o candidato ficará frente a frente com os examinadores. Comum na área jurídica, a prova tem como proposta avaliar a fluência do candidato na disciplina, que está determinada no conteúdo programático do edital do concurso.

Na avaliação oral, o examinando precisa responder perguntas ou discorrer sobre algum tema perante a uma banca examinadora, presencialmente.

Avaliação de Títulos

A prova de títulos é uma etapa comumente presente em alguns concursos que exigem ensino superior completo. A avaliação é de caráter classificatório, ou seja, o candidato que chegar nessa etapa não será eliminado do processo seletivo caso não tenha todos os títulos. Porém, poderá perder a vaga para quem comprovar qualificação superior na formação educacional e/ou profissional.

Os títulos mais comuns para nível superior são doutorado, mestrado pós-graduação, MBA e comprovação de experiência profissional. Em alguns certames também são aceitos cursos de aperfeiçoamento e profissionalizantes, publicações de livros ou trabalhos científicos e até mesmo premiações.

Já para os cargos que exigem ensino médio completo, os comprovantes em geral são relacionados ao tempo de experiência profissional na função pretendida.

Os títulos aceitos, os documentos necessários para comprovação e a data e local de entrega deles são informados no edital de abertura do concurso público. Dependendo do edital, o envio dos títulos é realizado no ato da inscrição ou após as etapas eliminatórias.

TAF

O Teste de Aptidão Física (TAF), também conhecido como prova de capacidade física, é muito conhecido pelos candidatos das carreiras policial e militar e concursos de Guarda Municipal. A etapa é de caráter eliminatório e classificatório e pode ser decisiva no resultado final.

Leia mais: professor dá dicas de como treinar para o TAF em casa

As tarefas mais comuns cobradas no teste de aptidão física são:

  • Flexões de braço;
  • Flexão abdominal;
  • Corrida de 12 minutos;
  • Corrida de 50 metros;
  • Teste de barra fixa.

Os exercícios são descritos no edital do concurso público, que indica, ainda, o número de repetições de cada tarefa para candidatos dos sexos feminino e masculino.

Vale ressaltar que, apesar de haver um padrão nas tarefas, outros testes podem surgir em editais, como o shuttle run e o meio sugado. Por isso, é importante que o candidato leia com atenção o edital do concurso público.

Exames médicos e avaliação psicológica

Essas etapas não são consideradas provas, mas podem eliminar o concurseiro em um processo seletivo. O objetivo dos exames médicos é comprovar que o candidato está habilitado para exercer aquela função, certificando de que não há algo na saúde que possa comprometer a sua atuação no cargo pretendido.

Curso de Formação Profissional

O curso de formação profissional é a última fase de concursos militares e policiais. De caráter eliminatório, o curso consiste em um treinamento ministrado por professores da própria organização.

O candidato que estiver frequentando o curso recebe uma bolsa-auxílio e está sujeito à dedicação em tempo integral. A fase tem duração de alguns meses. O CFP da Polícia Federal, por exemplo, dura cerca de cinco meses.

Para conseguir a aprovação e ingressar no órgão, é necessário tirar nota mínima nas provas aplicadas durante o treinamento. A classificação dos aprovados é ordenada de acordo com os valores decrescentes da nota final do curso de formação.


Quer ficar por dentro das principais notícias que rolam no mundo dos concursos? Acompanhe o nosso canal no Telegram e fique por dentro de tudo!

Cadastre-se e faça parte da maior comunidade de ensino on-line do Brasil.