O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora
Última chance de garantir sua Assinatura ilimitada com preço especial de lançamento. Aproveite! EU QUERO!

Questões de Concursos

Q799742 Português

Leia o poema de Augusto dos Anjos para responder à questão.

                                         À mesa

                  Cedo à sofreguidão do estômago. É a hora

                  De comer. Coisa hedionda! Corro. E agora,

                   Antegozando a ensanguentada presa,

                   Rodeada pelas moscas repugnantes,

                   Para comer meus próprios semelhantes

                               Eis-me sentado à mesa!

                  Como porções de carne morta... Ai! Como

                  Os que, como eu, têm carne, com esse assomo

                  Que a espécie humana em comer carne tem!...

                  Como! E pois que a Razão me não reprime,

                  Possa a terra vingar-se do meu crime

                         Comendo-me também.

                                                               (Augusto dos Anjos. Eu e outras poesias, 2011)

Observe como o poema inicia cada uma das estrofes: “Cedo à sofreguidão do estômago.” e “Como porções de carne morta...”. O fato de se omitir o agente das orações faz com que os enunciados
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!