O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora
Tem promoção no ar! Aproveite nossa Black Friday com 40% OFF. Eu quero!

Questões de Concursos

Q724301 Literatura

Instrução: O texto a seguir é base para a questão.

    Não é possível idear nada mais puro e harmonioso do que o perfil dessa estátua de moça.

    Era alta e esbelta. Tinha um desses talhes flexíveis e lançados, que são hastes de lírio para o rosto gentil; porém na mesma delicadeza do porte esculpiam-se os contornos mais graciosos com firme nitidez das linhas e uma deliciosa suavidade nos relevos.

    Não era alva, também não era morena. Tinha sua tez a cor das pétalas da magnólia, quando vão desfalecendo ao beijo do sol. Mimosa cor de mulher, se a aveluda a pubescência* juvenil, e a luz coa pelo fino tecido, e um sangue puro a escumilha** de róseo matiz. A dela era assim.

    Uma altivez de rainha cingia-lhe a fronte, como diadema cintilando na cabeça de um anjo. Havia em toda a sua pessoa um quer que fosse de sublime e excelso que a abstraía da terra. Contemplando-a naquele instante de enlevo, dir-se-ia que ela se preparava para sua celeste ascensão.

(José de Alencar, Diva.)

* Pubescência: puberdade.

** Escumilha: borda sobre escumilha (tecido).

Sobre o texto, afirma-se que I. apresenta a mulher, objeto de adoração, idealizada e descrita de forma inacessível, como sugerem os termos: puro, altivez, rainha, anjo, sublime, excelso, ascensão; II. critica os costumes da sociedade da época, a exemplo da maioria dos romances românticos do século XIX; III. se vale de uma linguagem simples e popular, o que era comum aos escritores do momento literário a que Alencar pertenceu. Está correto o contido em
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!