O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora
Última chance de garantir sua Assinatura ilimitada com preço especial de lançamento. Aproveite! EU QUERO!

Questões de Concursos

Q706854 Jornalismo

Leia o texto abaixo:

O debate sobre biografias não autorizadas está pegando fogo. Apesar de a ação movida pela Associação Nacional dos Editores de Livros (Anel) no Supremo Tribunal Federal contra artigos do Código Civil que protegem os biografados estar em andamento desde 2012, o assunto voltou a ganhar força nos últimos tempos. No dia 2 de outubro de 2013, Ancelmo Gois publicou, em sua coluna no Globo, a posição do Procure Saber, grupo presidido por Paula Lavigne, contra a demanda dos profissionais do livro, que foi reforçada por artigos de alguns de seus membros mais ilustres (Chico Buarque, Caetano Veloso e Gilberto Gil) no Globo.

(Globo Cultura: A batalha das biografias. Disponivel em: In http://oglobo.globo.com/infograficos/batalha-biografias/)


Enquanto na esfera pública se discute no Brasil da liberdade de expressão editorial às biografias não autorizadas, no campo teórico tornou-se objeto de estudo por estar se tornando cada dia mais um mercado promissor aos jornalistas. Sobre este estudo teórico, analise.

I. Esta teoria começou a ser estudada com mais intensidade nas últimas décadas do século XX, mas teve seu primeiro registro na obra Public Opinion, de Walter Lippman, que focava em suas características.

II. Na passagem do século XX para o XXI, registra-se, no Brasil, o estudo da “teoria da biografia sem-fim”, desenvolvida por Felipe Pena com o objetivo de estudar uma área editorial muito explorada pelos jornalistas.

III. O estudo se refere a este gênero narrativo que vem utilizando cada dia mais técnicas jornalísticas, tais como a necessidade de se estabelecer um pacto com o leitor que referencia a expressão da verdade em sua redação.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s)

Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!