O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora

DÊ UM UPGRADE NA SUA PREPARAÇÃO - Torne-se assinante e transforme seus estudos!

CONHEÇA NOSSOS PLANOS

Questões de Concursos

Ano: 2016 Banca: UNESPAR Órgão: UNESPAR Prova: UNESPAR - 2016 - UNESPAR - Vestibular - 1º Dia - Grupos 1, 2, 3 e 4 |
Q749854 Artes Cênicas

“Como ir pro trabalho sem levar um tiro

Voltar pra casa sem levar um tiro
Se as três da matina tem alguém que frita 
E é capaz de tudo pra manter sua brisa 
Os saraus tiveram que invadir os botecos 
Pois biblioteca não era lugar de poesia 
Biblioteca tinha que ter silêncio, 
E uma gente que se acha assim muito sabida 

Há preconceito com o nordestino 
Há preconceito com o homem negro 
Há preconceito com o analfabeto 
Mas não há preconceito se um dos três for rico, pai. 

A ditadura segue meu amigo Milton 
A repressão segue meu amigo Chico 
Me chamam Criolo e o meu berço é o rap 
Mas não existe fronteira pra minha poesia, pai. 
Afasta de mim a biqueira, pai 
Afasta de mim as biate, pai 
Afasta de mim a cocaine, pai 
Pois na quebrada escorre sangue.”

(Disponível em http://www.vagalume.com.br/criolo/ calice.html#ixzz3qOyuM3T6 Acesso em 25/10/2015)

Os versos acima foram compostos pelo rapper Criolo sobre os versos da canção “Cálice”, composta por Chico Buarque e Gilberto Gil em 1973. A composição do rapper:
I. Foi acusada de plágio pelos autores da canção original; II. Foi assimilada por Chico Buarque no repertório de seu show; III. Foi assimilada por Gilberto Gil no repertório de seu show; IV. Denuncia de forma contundente a opressão social sofrida pelas minorias e o papel de intervenção da arte, o que torna a sua versão da canção uma atualização das posições defendidas pelos compositores de “Cálice” no período da ditadura militar; V. Não tem afinidade, no seu conteúdo, à composição original “Cálice” que aborda, exclusivamente, a questão da censura sofrida pelos artistas no período da ditadura militar.
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!