O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora

Questões VUNESP - 2011 - CREMESP - Motorista

Foram encontradas 40 questões

Ano: 2011 Banca: VUNESP Órgão: CREMESP Prova: VUNESP - 2011 - CREMESP - Motorista |
Q704044 Português
Medo da velhice
À medida que fico maduro, tomo consciência de que a cidade é feita para quem está no auge da saúde, com força total. São frequentes as reportagens sobre os ônibus e peruas que não param para idosos. Muitos motoristas fogem diante dos cabelos brancos.
Se entro numa loja e vejo uma senhora idosa examinando um artigo em promoção, geralmente a vendedora está com ar impaciente. Prefere atender gente com vontade de comprar mais depressa.
Nas famílias, as pessoas estão o tempo todo ocupadas. São poucas as que têm disposição para passar uma tarde ou uma noite conversando, preparando um jantarzinho melhor, trocando afeto. O idoso é obrigado a entender que a vida do neto corre depressa, e que ele não tem paciência com o ritmo mais lento do avô, para as recordações e modo de ver o mundo.
Penso que nossos ancestrais sabiam lidar melhor com a velhice. Viviam em cidades menores, os vizinhos se conheciam, e um ajudava o outro. Na cidade grande, é sempre uma correria onde frequentemente se esquecem os valores humanos. É duro olhar para esse mundo e se perguntar:
– O que será de mim, quando for velho?
Talvez, se todos se fizessem a mesma pergunta, tudo poderia melhorar a partir de agora.
(Walcyr Carrasco. Pequenos delitos e outras crônicas. Adaptado)
De acordo com o texto, à medida que amadurece, o autor descobre que a cidade privilegia
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!
Ano: 2011 Banca: VUNESP Órgão: CREMESP Prova: VUNESP - 2011 - CREMESP - Motorista |
Q704045 Português
Medo da velhice
À medida que fico maduro, tomo consciência de que a cidade é feita para quem está no auge da saúde, com força total. São frequentes as reportagens sobre os ônibus e peruas que não param para idosos. Muitos motoristas fogem diante dos cabelos brancos.
Se entro numa loja e vejo uma senhora idosa examinando um artigo em promoção, geralmente a vendedora está com ar impaciente. Prefere atender gente com vontade de comprar mais depressa.
Nas famílias, as pessoas estão o tempo todo ocupadas. São poucas as que têm disposição para passar uma tarde ou uma noite conversando, preparando um jantarzinho melhor, trocando afeto. O idoso é obrigado a entender que a vida do neto corre depressa, e que ele não tem paciência com o ritmo mais lento do avô, para as recordações e modo de ver o mundo.
Penso que nossos ancestrais sabiam lidar melhor com a velhice. Viviam em cidades menores, os vizinhos se conheciam, e um ajudava o outro. Na cidade grande, é sempre uma correria onde frequentemente se esquecem os valores humanos. É duro olhar para esse mundo e se perguntar:
– O que será de mim, quando for velho?
Talvez, se todos se fizessem a mesma pergunta, tudo poderia melhorar a partir de agora.
(Walcyr Carrasco. Pequenos delitos e outras crônicas. Adaptado)
Conforme o texto, os nossos ancestrais sabiam lidar melhor com a velhice porque as pessoas
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!
Ano: 2011 Banca: VUNESP Órgão: CREMESP Prova: VUNESP - 2011 - CREMESP - Motorista |
Q704046 Português
Medo da velhice
À medida que fico maduro, tomo consciência de que a cidade é feita para quem está no auge da saúde, com força total. São frequentes as reportagens sobre os ônibus e peruas que não param para idosos. Muitos motoristas fogem diante dos cabelos brancos.
Se entro numa loja e vejo uma senhora idosa examinando um artigo em promoção, geralmente a vendedora está com ar impaciente. Prefere atender gente com vontade de comprar mais depressa.
Nas famílias, as pessoas estão o tempo todo ocupadas. São poucas as que têm disposição para passar uma tarde ou uma noite conversando, preparando um jantarzinho melhor, trocando afeto. O idoso é obrigado a entender que a vida do neto corre depressa, e que ele não tem paciência com o ritmo mais lento do avô, para as recordações e modo de ver o mundo.
Penso que nossos ancestrais sabiam lidar melhor com a velhice. Viviam em cidades menores, os vizinhos se conheciam, e um ajudava o outro. Na cidade grande, é sempre uma correria onde frequentemente se esquecem os valores humanos. É duro olhar para esse mundo e se perguntar:
– O que será de mim, quando for velho?
Talvez, se todos se fizessem a mesma pergunta, tudo poderia melhorar a partir de agora.
(Walcyr Carrasco. Pequenos delitos e outras crônicas. Adaptado)
Na opinião do autor, se imaginássemos o que seria de nós na velhice, poderíamos
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!
Ano: 2011 Banca: VUNESP Órgão: CREMESP Prova: VUNESP - 2011 - CREMESP - Motorista |
Q704047 Português
Medo da velhice
À medida que fico maduro, tomo consciência de que a cidade é feita para quem está no auge da saúde, com força total. São frequentes as reportagens sobre os ônibus e peruas que não param para idosos. Muitos motoristas fogem diante dos cabelos brancos.
Se entro numa loja e vejo uma senhora idosa examinando um artigo em promoção, geralmente a vendedora está com ar impaciente. Prefere atender gente com vontade de comprar mais depressa.
Nas famílias, as pessoas estão o tempo todo ocupadas. São poucas as que têm disposição para passar uma tarde ou uma noite conversando, preparando um jantarzinho melhor, trocando afeto. O idoso é obrigado a entender que a vida do neto corre depressa, e que ele não tem paciência com o ritmo mais lento do avô, para as recordações e modo de ver o mundo.
Penso que nossos ancestrais sabiam lidar melhor com a velhice. Viviam em cidades menores, os vizinhos se conheciam, e um ajudava o outro. Na cidade grande, é sempre uma correria onde frequentemente se esquecem os valores humanos. É duro olhar para esse mundo e se perguntar:
– O que será de mim, quando for velho?
Talvez, se todos se fizessem a mesma pergunta, tudo poderia melhorar a partir de agora.
(Walcyr Carrasco. Pequenos delitos e outras crônicas. Adaptado)
... a cidade é feita para quem está no auge ... A palavra auge tem sentido contrário em
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!
Ano: 2011 Banca: VUNESP Órgão: CREMESP Prova: VUNESP - 2011 - CREMESP - Motorista |
Q704048 Português
Medo da velhice
À medida que fico maduro, tomo consciência de que a cidade é feita para quem está no auge da saúde, com força total. São frequentes as reportagens sobre os ônibus e peruas que não param para idosos. Muitos motoristas fogem diante dos cabelos brancos.
Se entro numa loja e vejo uma senhora idosa examinando um artigo em promoção, geralmente a vendedora está com ar impaciente. Prefere atender gente com vontade de comprar mais depressa.
Nas famílias, as pessoas estão o tempo todo ocupadas. São poucas as que têm disposição para passar uma tarde ou uma noite conversando, preparando um jantarzinho melhor, trocando afeto. O idoso é obrigado a entender que a vida do neto corre depressa, e que ele não tem paciência com o ritmo mais lento do avô, para as recordações e modo de ver o mundo.
Penso que nossos ancestrais sabiam lidar melhor com a velhice. Viviam em cidades menores, os vizinhos se conheciam, e um ajudava o outro. Na cidade grande, é sempre uma correria onde frequentemente se esquecem os valores humanos. É duro olhar para esse mundo e se perguntar:
– O que será de mim, quando for velho?
Talvez, se todos se fizessem a mesma pergunta, tudo poderia melhorar a partir de agora.
(Walcyr Carrasco. Pequenos delitos e outras crônicas. Adaptado)
Assinale a alternativa que apresenta palavra em sentido figurado.
Você errou!   Resposta: Parabéns! Você acertou!
Respostas
1: B
2: D
3: C
4: C
5: B