O seu navegador (Generic Browser 0) está desatualizado. Melhore sua experiência em nosso site!
Atualize Agora

A MAIOR Black Friday está chegando. Inscreva-se e saia na frente 🧡

Questões de Física - Relatividade para Concurso

Foram encontradas 28 questões

Q1690053 Física
Os efeitos relativísticos sobre um corpo podem ser percebidos e medidos somente quando ele se movimenta com velocidade superior a aproximadamente 10% da velocidade da luz. São velocidades muito altas se comparadas às velocidades a que estamos acostumados. Para velocidades baixas, os efeitos relativísticos são tão pequenos que podem ser desprezados.
Internet: <algosobre.com.br> (com adaptações).

A figura a seguir ilustra um cubo, de aresta L0, que se move com velocidade igual a 0,6·c na direção do eixo y, sendo c a velocidade da luz no vácuo.
Imagem associada para resolução da questão

Considerando as informações e a figura anteriores, assinale a opção que apresenta a razão entre o volume do corpo sob ação relativística e o seu volume em repouso, ambos em relação ao observador estacionário.
Alternativas
Q1175085 Física
Leia a seguinte matéria: “Há 100 anos, a teoria era comprovada no Ceará. ‘Questão que minha mente formulou foi respondida pelo radiante céu do Brasil’, disse Einstein sobre eclipse que comprovou, em 1919, em Sobral, veracidade de ideias que levam hoje à compreensão de buracos-negros e GPS. O físico alemão Albert Einstein apresentou sua teoria em 1915 e estava convencido de que uma das consequências dela seria o desvio da trajetória da luz por um corpo de grande massa no espaço, o que pode ser observado, por exemplo, durante um eclipse solar. Esse efeito, chamado de deflexão da luz, faria com que as estrelas observadas durante o eclipse fossem vistas numa posição aparentemente diferente de sua localização real, comprovando assim uma das maiores revoluções da história da ciência.” (Texto adaptado. Fonte: terra.com.br, de 28/05/2019).

Qual o nome da teoria de que trata o texto?
Alternativas
Q1110990 Física
Em 1905 Albert Einstein estabeleceu a cinemática relativística, que prevê fenômenos como a dilatação temporal para referenciais com movimento relativo. Hoje, 112 anos depois, as correções relativísticas são empregadas, por exemplo, no sistema de GPS, que utiliza o tempo para medir distâncias e portanto posicionar os corpos na superfície do planeta a partir da recepção dos sinais enviados por satélites que estão a 20x103 km da superfície. As correções devido à relatividade geral são ainda maiores, entretanto vamos considerar apenas a correção devida à relatividade restrita. Considere um satélite com velocidade relativa ao referencial terrestre de 4000m/s. A dilatação temporal que fará o período de um relógio no satélite em relação ao mesmo período T no referencial na Terra será dada por T’= T/ɣ, com ɣ sendo o fator de Lorentz que pode ser expandido em série conforme a fórmula abaixo: Imagem associada para resolução da questão Dessa maneira a cada segundo dos relógios terrestres (T=1s) no tempo próprio do satélite haverá a redução de T’= 1- v2 /(2c2) segundos. Assinale abaixo o número aproximado de microsegundos (10-6 segundos) que o relógio do satélite estaria atrasado em relação à relógios na Terra ao final de um dia. Considere c=3x108 m/s:
Alternativas
Q1096233 Física
Com relação à física moderna, julgue o item subsequente.
Suponha‐se que uma equipe de astronautas esteja em uma espaçonave, viajando a uma velocidade (v) = 0,4.cem relação à Terra, e envie uma mensagem ao controle da missão, informando que irá cessar a comunicação por 4 horas (h) e depois retornará com as atividades. Nesse caso, considerando‐se c = velocidade da luz no vácuo, o tempo que os astronautas permaneceram em silêncio, do ponto de vista dos observadores na Terra, é dado por Imagem associada para resolução da questão.
Alternativas
Q1026267 Física

Os conceitos físicos são criações livres do espírito humano; eles não são, como se poderia acreditar, determinados unicamente pelo mundo exterior. No esforço que fazemos para compreender o mundo, nós parecemos um pouco com uma pessoa que tenta compreender o mecanismo de um relógio completamente fechado: ela vê o mostrador e os ponteiros em movimento, ouve o tique-taque, mas não tem nenhum meio de abrir o relógio. Se ela for criativa, poderá construir uma imagem do mecanismo, considerando-o responsável por tudo o que ela observa; mas ela nunca estará segura de que sua imagem é a única capaz de explicar suas observações. Ela nunca estará em condições de comparar sua imagem com o mecanismo real e sequer poderá representar a possibilidade ou a significação de tal comparação. Assim o pesquisador também crê certamente que, à medida que seus conhecimentos aumentarão, sua imagem da realidade se tornará cada vez mais simples e explicará campos de impressões sensíveis sempre mais amplos. Ele poderá, assim, crer na existência de um limite ideal do conhecimento, que o espírito humano pode alcançar. Ele poderá chamar esse limite ideal de verdade objetiva.

(EINSTEIN, Albert. INFELD, Léopold. L’ évolution des idées en Physique. Trad. M. Solovine. Paris: Payot, 1978, p. 34-35)


Segundo o texto escrito no século XX, a partir de uma concepção contemporânea de ciência,

Alternativas
Respostas
1: D
2: D
3: D
4: C
5: D