Atualizando histórico

Estamos atualizando seu histórico de questões resolvidas, por favor aguarde alguns instantes.

Menu
Cadastre-se

Questões de Concursos - Questões

ver filtro
filtros salvos
  • Você ainda não salvou nenhum filtro
    • Apenas que tenham
    • Excluir questões
    salvar
    salvar x
    limpar
    779 questões encontradas
    Ano: 2017
    Banca: UFU-MG
    Órgão: UFU-MG
    Para responder a questão, leia o texto a seguir.

        Imagine a fotografia de um iceberg. Na superfície da água, os olhos enxergam apenas cerca de 10% de um gigantesco bloco de gelo submerso. Essa mesma imagem poderia representar a sua saúde em determinado instante. A parte visível da geleira flutuante equivaleria ao que acreditamos ser a nossa condição atual, a fotografia daquele momento, que não revela todo o resto.
        Você está acima do peso? Sofre com insônia, dores ou depressão? São situações do gênero que nos fazem procurar um especialista. Só que a medicina tradicionalmente atua naquela ponta de gelo aparente, oferecendo remédios e outros tratamentos para o que está na superfície, sem refletir que ninguém fica doente de uma hora para outra. Assim como ninguém engorda de repente, sem explicação.
        Por trás de qualquer problema que percebemos, está um desequilíbrio que começa nos andares mais profundos do iceberg da nossa comparação. E esses níveis submersos estão relacionados a algo que ganha cada vez mais importância. Estou falando de estilo de vida, que é pessoal e intransferível.
        O meu maior desafio como médico é convencer as pessoas que modifiquem seus hábitos. Pequenas mudanças já seriam capazes de prevenir nada menos do que 80% das doenças crônicas e 40% dos tumores malignos, o que não é pouco. Por isso, este texto propõe que você pense sobre as escolhas que faz diariamente. Reuni sugestões para ajudá-lo a escutar o seu corpo – porque ele fala, e muito! – e a cuidar melhor de todos os aspectos que envolvem o seu bem-estar. A saúde deve ser algo com significado positivo e harmônico, até porque não faz sentido viver correndo atrás do prejuízo e começar a se cuidar só depois que aparecem os problemas físicos.
        O primeiro andar submerso do nosso “iceberg” diz respeito à prática de atividade física. Muitas pessoas se surpreenderão em saber que uma vida ativa não depende de frequentar a academia. Manter-se em movimento, ou não, é uma decisão que tomamos em várias ações do cotidiano. Erros de alimentação – ela corresponde ao segundo andar – também têm um peso enorme quando o assunto são as doenças relacionadas ao estilo de vida. Elas formam um grupo bem grande, que inclui problemas cardiovasculares e diabete.
        Na base de tudo, porém, estão as questões relacionadas à mente. Para cada pensamento, cada emoção, existe uma resposta fisiológica. Não à toa, o estresse crônico está direta ou indiretamente ligado a sete entre as dez doenças que mais matam no mundo. Até mesmo o lado espiritual, nosso último andar submerso, pode ser a razão do aparecimento ou da mudança de curso de eventuais doenças. E o lado espiritual a que me refiro aqui não tem necessariamente a ver com religião, e sim com a conexão corpo-menteespírito. A saúde de qualquer um desses elementos pode afetar o estado dos outros. O todo é bem mais que a soma das partes. Você é único.

    PEDRINOLA, Filippo. Como anda a sua saúde. Ir: Um convite à saúde. São Paulo: Ed. Abril, 2011. p. 14-15 (Adaptado)


    Para responder a questão, considere o seguinte parágrafo do texto apresentado.

       Você está acima do peso? Sofre com insônia, dores ou depressão? São situações do gênero que nos fazem procurar um especialista. Só que a medicina tradicionalmente atua naquela ponta de gelo aparente, oferecendo remédios e outros tratamentos para o que está na superfície, sem refletir que ninguém fica doente de uma hora para outra. Assim como ninguém engorda de repente, sem explicação. 


        O trecho “Você está acima do peso? Sofre com insônia, dores ou depressão? São situações do gênero que nos fazem procurar um especialista.” cumpre, simultaneamente, duas funções no texto:

    Você configurou para não ver comentários antes de resolver uma questão.

    Ano: 2017
    Banca: UFU-MG
    Órgão: UFU-MG
    Para responder a questão, leia o texto a seguir.

        Imagine a fotografia de um iceberg. Na superfície da água, os olhos enxergam apenas cerca de 10% de um gigantesco bloco de gelo submerso. Essa mesma imagem poderia representar a sua saúde em determinado instante. A parte visível da geleira flutuante equivaleria ao que acreditamos ser a nossa condição atual, a fotografia daquele momento, que não revela todo o resto.
        Você está acima do peso? Sofre com insônia, dores ou depressão? São situações do gênero que nos fazem procurar um especialista. Só que a medicina tradicionalmente atua naquela ponta de gelo aparente, oferecendo remédios e outros tratamentos para o que está na superfície, sem refletir que ninguém fica doente de uma hora para outra. Assim como ninguém engorda de repente, sem explicação.
        Por trás de qualquer problema que percebemos, está um desequilíbrio que começa nos andares mais profundos do iceberg da nossa comparação. E esses níveis submersos estão relacionados a algo que ganha cada vez mais importância. Estou falando de estilo de vida, que é pessoal e intransferível.
        O meu maior desafio como médico é convencer as pessoas que modifiquem seus hábitos. Pequenas mudanças já seriam capazes de prevenir nada menos do que 80% das doenças crônicas e 40% dos tumores malignos, o que não é pouco. Por isso, este texto propõe que você pense sobre as escolhas que faz diariamente. Reuni sugestões para ajudá-lo a escutar o seu corpo – porque ele fala, e muito! – e a cuidar melhor de todos os aspectos que envolvem o seu bem-estar. A saúde deve ser algo com significado positivo e harmônico, até porque não faz sentido viver correndo atrás do prejuízo e começar a se cuidar só depois que aparecem os problemas físicos.
        O primeiro andar submerso do nosso “iceberg” diz respeito à prática de atividade física. Muitas pessoas se surpreenderão em saber que uma vida ativa não depende de frequentar a academia. Manter-se em movimento, ou não, é uma decisão que tomamos em várias ações do cotidiano. Erros de alimentação – ela corresponde ao segundo andar – também têm um peso enorme quando o assunto são as doenças relacionadas ao estilo de vida. Elas formam um grupo bem grande, que inclui problemas cardiovasculares e diabete.
        Na base de tudo, porém, estão as questões relacionadas à mente. Para cada pensamento, cada emoção, existe uma resposta fisiológica. Não à toa, o estresse crônico está direta ou indiretamente ligado a sete entre as dez doenças que mais matam no mundo. Até mesmo o lado espiritual, nosso último andar submerso, pode ser a razão do aparecimento ou da mudança de curso de eventuais doenças. E o lado espiritual a que me refiro aqui não tem necessariamente a ver com religião, e sim com a conexão corpo-menteespírito. A saúde de qualquer um desses elementos pode afetar o estado dos outros. O todo é bem mais que a soma das partes. Você é único.

    PEDRINOLA, Filippo. Como anda a sua saúde. Ir: Um convite à saúde. São Paulo: Ed. Abril, 2011. p. 14-15 (Adaptado)


    Para responder a questão, considere o seguinte parágrafo do texto apresentado.

      Você está acima do peso? Sofre com insônia, dores ou depressão? São situações do gênero que nos fazem procurar um especialista. Só que a medicina tradicionalmente atua naquela ponta de gelo aparente, oferecendo remédios e outros tratamentos para o que está na superfície, sem refletir que ninguém fica doente de uma hora para outra. Assim como ninguém engorda de repente, sem explicação. 


        Com base na leitura do texto e do parágrafo em questão, é correto afirmar que a expressão “Só que” introduz um período em que o autor

    Você configurou para não ver comentários antes de resolver uma questão.

    Ano: 2017
    Banca: UFU-MG
    Órgão: UFU-MG
    Para responder a questão, leia o texto a seguir.

        Imagine a fotografia de um iceberg. Na superfície da água, os olhos enxergam apenas cerca de 10% de um gigantesco bloco de gelo submerso. Essa mesma imagem poderia representar a sua saúde em determinado instante. A parte visível da geleira flutuante equivaleria ao que acreditamos ser a nossa condição atual, a fotografia daquele momento, que não revela todo o resto.
        Você está acima do peso? Sofre com insônia, dores ou depressão? São situações do gênero que nos fazem procurar um especialista. Só que a medicina tradicionalmente atua naquela ponta de gelo aparente, oferecendo remédios e outros tratamentos para o que está na superfície, sem refletir que ninguém fica doente de uma hora para outra. Assim como ninguém engorda de repente, sem explicação.
        Por trás de qualquer problema que percebemos, está um desequilíbrio que começa nos andares mais profundos do iceberg da nossa comparação. E esses níveis submersos estão relacionados a algo que ganha cada vez mais importância. Estou falando de estilo de vida, que é pessoal e intransferível.
        O meu maior desafio como médico é convencer as pessoas que modifiquem seus hábitos. Pequenas mudanças já seriam capazes de prevenir nada menos do que 80% das doenças crônicas e 40% dos tumores malignos, o que não é pouco. Por isso, este texto propõe que você pense sobre as escolhas que faz diariamente. Reuni sugestões para ajudá-lo a escutar o seu corpo – porque ele fala, e muito! – e a cuidar melhor de todos os aspectos que envolvem o seu bem-estar. A saúde deve ser algo com significado positivo e harmônico, até porque não faz sentido viver correndo atrás do prejuízo e começar a se cuidar só depois que aparecem os problemas físicos.
        O primeiro andar submerso do nosso “iceberg” diz respeito à prática de atividade física. Muitas pessoas se surpreenderão em saber que uma vida ativa não depende de frequentar a academia. Manter-se em movimento, ou não, é uma decisão que tomamos em várias ações do cotidiano. Erros de alimentação – ela corresponde ao segundo andar – também têm um peso enorme quando o assunto são as doenças relacionadas ao estilo de vida. Elas formam um grupo bem grande, que inclui problemas cardiovasculares e diabete.
        Na base de tudo, porém, estão as questões relacionadas à mente. Para cada pensamento, cada emoção, existe uma resposta fisiológica. Não à toa, o estresse crônico está direta ou indiretamente ligado a sete entre as dez doenças que mais matam no mundo. Até mesmo o lado espiritual, nosso último andar submerso, pode ser a razão do aparecimento ou da mudança de curso de eventuais doenças. E o lado espiritual a que me refiro aqui não tem necessariamente a ver com religião, e sim com a conexão corpo-menteespírito. A saúde de qualquer um desses elementos pode afetar o estado dos outros. O todo é bem mais que a soma das partes. Você é único.

    PEDRINOLA, Filippo. Como anda a sua saúde. Ir: Um convite à saúde. São Paulo: Ed. Abril, 2011. p. 14-15 (Adaptado)
        Considere os seguintes enunciados do texto:

        Pequenas mudanças já seriam capazes de prevenir nada menos do que 80% das doenças crônicas e 40% dos tumores malignos, o que não é pouco.

        Não à toa, o estresse crônico está direta ou indiretamente ligado a sete entre as dez doenças que mais matam no mundo.

        Essas informações, fornecidas pelo autor do texto, sustentam-se sobre um conhecimento

    Você configurou para não ver comentários antes de resolver uma questão.

    Ano: 2017
    Banca: UFU-MG
    Órgão: UFU-MG
    Para responder a questão, leia o texto a seguir.

        Imagine a fotografia de um iceberg. Na superfície da água, os olhos enxergam apenas cerca de 10% de um gigantesco bloco de gelo submerso. Essa mesma imagem poderia representar a sua saúde em determinado instante. A parte visível da geleira flutuante equivaleria ao que acreditamos ser a nossa condição atual, a fotografia daquele momento, que não revela todo o resto.
        Você está acima do peso? Sofre com insônia, dores ou depressão? São situações do gênero que nos fazem procurar um especialista. Só que a medicina tradicionalmente atua naquela ponta de gelo aparente, oferecendo remédios e outros tratamentos para o que está na superfície, sem refletir que ninguém fica doente de uma hora para outra. Assim como ninguém engorda de repente, sem explicação.
        Por trás de qualquer problema que percebemos, está um desequilíbrio que começa nos andares mais profundos do iceberg da nossa comparação. E esses níveis submersos estão relacionados a algo que ganha cada vez mais importância. Estou falando de estilo de vida, que é pessoal e intransferível.
        O meu maior desafio como médico é convencer as pessoas que modifiquem seus hábitos. Pequenas mudanças já seriam capazes de prevenir nada menos do que 80% das doenças crônicas e 40% dos tumores malignos, o que não é pouco. Por isso, este texto propõe que você pense sobre as escolhas que faz diariamente. Reuni sugestões para ajudá-lo a escutar o seu corpo – porque ele fala, e muito! – e a cuidar melhor de todos os aspectos que envolvem o seu bem-estar. A saúde deve ser algo com significado positivo e harmônico, até porque não faz sentido viver correndo atrás do prejuízo e começar a se cuidar só depois que aparecem os problemas físicos.
        O primeiro andar submerso do nosso “iceberg” diz respeito à prática de atividade física. Muitas pessoas se surpreenderão em saber que uma vida ativa não depende de frequentar a academia. Manter-se em movimento, ou não, é uma decisão que tomamos em várias ações do cotidiano. Erros de alimentação – ela corresponde ao segundo andar – também têm um peso enorme quando o assunto são as doenças relacionadas ao estilo de vida. Elas formam um grupo bem grande, que inclui problemas cardiovasculares e diabete.
        Na base de tudo, porém, estão as questões relacionadas à mente. Para cada pensamento, cada emoção, existe uma resposta fisiológica. Não à toa, o estresse crônico está direta ou indiretamente ligado a sete entre as dez doenças que mais matam no mundo. Até mesmo o lado espiritual, nosso último andar submerso, pode ser a razão do aparecimento ou da mudança de curso de eventuais doenças. E o lado espiritual a que me refiro aqui não tem necessariamente a ver com religião, e sim com a conexão corpo-menteespírito. A saúde de qualquer um desses elementos pode afetar o estado dos outros. O todo é bem mais que a soma das partes. Você é único.

    PEDRINOLA, Filippo. Como anda a sua saúde. Ir: Um convite à saúde. São Paulo: Ed. Abril, 2011. p. 14-15 (Adaptado)

        A partir da leitura do texto, infere-se que a concepção de ser humano que embasa as reflexões do autor é: 

    Você configurou para não ver comentários antes de resolver uma questão.

    Ano: 2017
    Banca: UFU-MG
    Órgão: UFU-MG
    O trecho a seguir, que introduz a reportagem “S.O.S Terra”, publicada na Seção “Especial” da revista 29 horas, tem como tema central a sustentabilidade do planeta.
    Com base nesse trecho, responda a questão.

    S.O.S TERRA

        O planeta está mudando. E não para melhor. Com o aquecimento global tivemos registros climáticos nunca antes vistos: a maior temperatura nos últimos 80 anos, o maior período de seca e a maior chuva medida. Os índices de dióxido de carbono na atmosfera são também alarmantes: uma concentração acima de 400 partes por milhão, a maior taxa nos milênios de existência da Terra. Como se vê, é um cenário assustador para nós e uma péssima herança para as gerações futuras. Mas não precisa ser. O nosso especial vem para mostrar que ainda não é tarde para mudarmos nossos hábitos. Podemos melhorar aos poucos: não desperdiçando alimentos, procurando novas formas de moradia que dialoguem com o ecossistema, reduzindo a poluição na modalidade urbana, criando empresas mais responsáveis com o meio ambiente, não abusando no uso de agrotóxicos. É um longo caminho para ser percorrido.
        Mas não se engane, ainda temos tempo.
    (In: 29 horas: a revista dos passageiros de Congonhas. Ed. 85, nov. 2016, São Paulo. p. 39)
        No enunciado “Com o aquecimento global tivemos registros climáticos nunca antes vistos”, a expressão destacada cumpre a função de apresentar

    Você configurou para não ver comentários antes de resolver uma questão.