Concurso público: a rotina de estudos faz diferença

Início » Artigos » Concurso público: a rotina de estudos faz diferença
By | 2019-06-06T17:00:51+00:00 06 de junho de 2019|Artigos|

Rotina de estudos faz diferença no concurso público

Quando alguém decide mergulhar no mar dos concursos públicos, deixa a vida de veterano em uma faculdade ou escola para tornar-se calouro na jornada de estudos do concurseiro. Todos querem a aprovação, seja para garantir a graduação, seja para ingressar na carreira pública, mas a rotina muda totalmente.

Diferentemente de estudantes dos ensinos médio e superior, a trajetória de um concurseiro pode levar anos. O primeiro enfrenta seus próprios desafios, já o segundo deve vencer uma corrida junto com milhares de pessoas que também buscam passar em concursos públicos.

Enquanto um veterano na faculdade tem as disciplinas e provas fracionadas em meses, o aspirante a uma carreira pública precisa fazer malabarismos para estudar 10, 15 ou até 25 matérias ao mesmo tempo, algumas dessas totalmente novas para ele.

Duas etapas diferentes na vida que requerem estratégias também diferentes.

Como vencer o desafio?

Toda mudança assusta, mas nada como um bom planejamento para superá-la.

Conheça uma solução de mentoria para ajudar você nessa jornada

O primeiro passo para montar um plano de estudo é conhecer seu cotidiano, seus hábitos e o tempo disponível para os estudos. De acordo com o professor Marco Ferrari, o ideal é montar um calendário não só com o que vai estudar, mas também com todos os compromissos fixos, como médico, buscar filhos no colégio, almoço e jantar, entre outros.

O segundo é estabelecer uma rotina de estudos e cumpri-la fielmente. A organização evita excessos, que podem acabar prejudicando a performance nos estudos.

Não adianta gastar de 10 a 12 horas por dia estudando disciplinas, algumas que nem mesmo serão cobradas nas provas, de forma aleatória. Um bom ciclo de estudos é a melhor maneira para melhorar o rendimento e ficar mais perto da aprovação.

Os benefícios de alternar as disciplinas são muitos, como otimizar o tempo e aumentar a concentração.

Mas o que seria esse ciclo e de que forma ele pode ajudar na preparação? Ao adotar essa estratégia, o concurseiro vai organizar as matérias de forma intercalada e fracionada, com base no grau de conhecimento, afinidade e dificuldade.

Veja um exemplo de um ciclo de estudos:

Ciclo de estudos

Reprodução de um ciclo de estudos para concurso sugerido pelo professor e mentor Eugênio Montoto.

Independentemente do tempo disponível, seja aquele totalmente dedicado ou o concurseiro que se divide entre preparação e trabalho, o estudo intercalado é importante para todos.

Há ainda um terceiro passo nessa jornada que é a revisão. É revisando que se aprende definitivamente. Essa é a etapa que fará com que todo o conteúdo estudado durante o ciclo se perpetue na memória de longo prazo.

Leia outros artigos do Qconcursos

Comentários