Aos 18 anos, estudante do QC é primeira colocada na Caixa Econômica

Início » Aprovados » Aos 18 anos, estudante do QC é primeira colocada na Caixa Econômica
By | 2018-03-01T14:34:53+00:00 07 de julho de 2014|Aprovados|

Sou Manuely Sabriny, tenho 18 anos e moro em Teresina- PI. Desde pequena me julgaram uma criança muito inteligente, tinha muita facilidade ao aprender, aprendi a falar palavras em inglês com 2 anos. Cresci como uma menina prodígio na família.

Sempre fui estudiosa, porém na hora de fazer teste eu ficava muito nervosa.

Não conseguia passar em nenhum teste bolsa que fazia, ia mal em vestibular e até mesmo testes para ingressar em outras escolas.

No 2º ano do ensino médio fiz a prova do ENEM e me dei muito mal.

Não consegui passar pra nenhum curso. Os familiares não entendiam o porquê, uma vez que eu estudava muito.

No ano seguinte, para diminuir esse nervosismo, fiz um concurso do HU e fui muito bem nas área que eu tinha estudado (só não fui melhor por ter estudado por 1 apostila desatualizada).

Errei poucas questões de conhecimento básico e de uma parte específica e vi que em concurso eu era muito melhor que no próprio vestibular.

Cheguei a dizer que seria muito mais fácil passar em um concurso que numa prova como o ENEM, por ser muito extensa e que me deixava muito nervosa por estar decidindo o meu futuro.

A oportunidade

Então, 6 dias após o ENEM do ano passado, me matriculei logo em um curso presencial para o concurso da CEF.

Era a maior oportunidade que tinha para conseguir minha independência financeira muito nova. Era um sonho ser independente aos 18 anos. Agarrei a oportunidade e me matriculei no curso.

Foi meu primeiro contato com várias matérias: Legislação, conhecimentos bancários, ética, informática, atendimento, matemática financeira, código de defesa do consumidor.

Comecei a estudar primeiro conhecimentos bancários e atendimento por ser o peso na prova e para me familiarizar com o conteúdo.

A organização

Resolvi, pela primeira vez, estudar por metas. Metas diárias, semanais e mensais. Ajuda a otimizar o tempo livre, intercalando vídeos, questões e leitura de apostilas.

Por exemplo: Todo dia ver 5 videoaulas, ler 20 páginas de uma apostila e fazer 20 questões.

Ao final de 5 dias, já terá terminado 25 videoaulas, lido 100 páginas e feito 100 questões.

Para fazer as questões utilizei o site Qconcursos, que costumo indicar a todos os concurseiros que me procuram. Ao final de 3 meses já havia revisado a mesma apostila 3 vezes.

Este método depende muito da determinação de cada um e do tempo livre, mas quem se prepara pra uma prova como a CESPE, que exige muito vocabulário, facilita muito o aprendizado.

Apoio

Ao longo do estudo contei com o apoio do namorado, que me levava todos os dias para estudar na biblioteca e quando me sentia cansada da maratona de estudo, ele me distraia e sempre dando motivação, apoio e otimismo.

Estar bem com o lado emocional é a parte mais importante do estudo. No concurso não tinha a mesma pressão como no vestibular, cobrança da “menina inteligente” passar.

Poucas pessoas sabiam que eu iria fazer, me senti mais livre. Se não passar, sem problemas.

E então, 2 meses após o início do estudo, saiu o resultado do ENEM e havia passado para o curso de Engenharia Agronômica na UFPI. Serviria para aproveitar matérias do curso que queria, Engenharia de Produção.

Me matriculei, e durante 2 semanas parei o estudo para o concurso da CEF.

Chegou o momento da inscrição no concurso e eu pensava que minha mãe nem iria pagar, pois já tinha passado no vestibular, iria estudar e etc.

Até que minha mãe e minha tia falaram para me inscrever, nem que seja somente para  tentar passar.

Me inscrevi e voltei a estudar ainda mais para recuperar as semanas perdidas. Ganhei 3 cursos online de amigos e familiares e estudei uma média de 7 a 10 horas por dia. Domingo a domingo.

O bom do estudo por metas é que ele permite, caso a pessoa queira sair para passear, colocar as metas para o dia seguinte. Fica mais puxado, mas o importante é cumprir.

E assim foi até o dia do concurso. Utilizei todos os métodos possíveis: resumos, esquemas, simulados, resolvia muitas questões, buscava informações até mesmo por sites das instituições, como o site da CEF.

Na última semana estudei uma média de 4 horas por dia para não ficar cansativo demais.

Viajei para Bacabal- MA, onde realizei a prova. Minha família ajudou muito na descontração e evitou o nervosismo que sempre me atrapalhava.

Terminei as 120  questões em 2 horas e meia e sobrou 2 horas para a redação.

Não deixei em branco nenhuma questão. Minha redação não foi como o esperado, mas nem isso diminuiu minha pontuação final.

Fiquei em primeiro no meu polo, e primeiro no estado todo. Meu esforço, todas aquelas horas estudando,  foi recompensado.

Mesmo pouco depois de 1 mês do resultado final é difícil acreditar. Minha história teve outro rumo.

Descobri que tenho facilidade com matérias de direito e agora irei trabalhar e iniciar meu curso superior.

Ainda hoje me falam que pode ser um erro assumir o trabalho agora, que posso me acomodar. Mas sou determinada e não vou desistir de ter o melhor pra mim.

Comentários